Decepção

tumblr_m8i0f4RX2q1rd42cdo1_500

Como não viver decepcionado com a igreja e os irmãos.

A história de Jesus e do jovem rico retrata a frustração do rapaz, devido a uma expectativa prévia do seu coração, contrariada por Jesus:

A igreja é um local de relacionamentos e, portanto, de diferentes opiniões e pontos de vista. Por causa da ênfase nos relacionamentos, surgem muitas expectativas. E expectativa envolve motivação, paixão e desafios. O ajuste das diferenças mais expectativas erradas, eventualmente, acabam em insatisfação, murmuração e decepção.

“Certo homem importante lhe perguntou: ‘Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?’ ‘Por que você me chama bom?’, respondeu Jesus.’Não há ninguém que seja bom, a não ser somente Deus. Você conhece os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe’. ‘A tudo isso tenho obedecido desde a adolescência’, disse ele. Ao ouvir isso, disse-lhe Jesus: ‘Falta-lhe ainda uma coisa. Venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro nos céus. Depois venha e siga-me’. Ouvindo isso, ele ficou triste, porque era muito rico.” Lucas 18.18-23

O jovem esperava de Jesus uma resposta que exaltaria e confirmaria a sua boa conduta e suas obras. Mas Jesus o surpreendeu pedindo que ele renunciasse ao que construíra durante toda sua vida. Nesse momento, descobriu-se a verdadeira intenção do jovem rico, que ficou decepcionado.

Isso mostra que podemos nos decepcionar mais facilmente do que imaginamos. Há três razões que certamente nos levarão a ficar decepcionados com a igreja:

1) Colocar muita expectativa nas pessoas e pouca no Senhor
Enquanto esperamos mais das pessoas do que de Deus, sempre corremos o risco de grandes decepções. Jesus não escolheu homens que nunca o desapontariam para serem seus discípulos. Ele escolheu quem se importavam com pessoas. Esse foi o convite de Jesus: “venham e vos farei pescadores de homens” (Mateus 4.19). O chamado nunca foi para uma vida cheia de bênçãos, mas sim para se doar por pessoas que iriam decepcioná-los a qualquer momento. As bênçãos são um mero complemento.

Através dessa passagem, Jesus nos ajuda a perceber que segui-lo, em primeiro lugar, é olhar para o próximo, e nunca para nós mesmos. Mas quando encaramos a igreja com uma mente consumista, um lugar aonde vamos para receber, então a decepção é algo certo – é apenas uma questão de tempo e oportunidade. Uma vida voltada para o próximo, sempre oferece mais possibilidades de decepção. O paradoxo é que ao obedecer ao mandamento de Jesus, de amar ao próximo como a nós mesmos, isto acaba produzindo em nós o antídoto contra a própria decepção. É que agora esperamos tudo de Jesus, e muito pouco das pessoas. Estamos fazendo a vontade do Senhor, e Ele mesmo suprirá todas as nossas necessidades.

Quando os nossos olhos estão focados em Jesus, as coisas deste mundo, e nossas expectativas, se tornam menos importantes e começamos a viver uma vida com propósito que traz realização. E o Senhor nunca nos desaponta.

2) Colocar nossas necessidades em primeiro lugar
Por vezes, necessitamos de cuidados e restauração, e não é errado esperar ter estas expectativas supridas. Mas quando isso se torna o centro da nossa vida cristã, instala-se a insatisfação contínua, e a decepção surge mesmo nas pequenas coisas. Isto acaba afetando a área mais sensível: os relacionamentos. Ninguém deixa a igreja como instituição, com seu modelo, ministérios e doutrina. As pessoas deixam as outras pessoas da igreja, deixam seus líderes.

Quando o único foco que espero da igreja é o que vão fazer por mim, a decepção é inevitável. Já ouvi muitos dizerem “Aqui não é uma igreja família? Então…”, e aí as pessoas se frustram e reclamam que não foram atendidas em suas egoístas necessidades. E igreja família não tem relação com a nossa família, mas com o corpo de Cristo – a família de Deus, onde cada um de nós tem suas responsabilidades e deveres.

As pessoas que focam em seus problemas, nunca estão satisfeitas, não importa o quanto sejam ajudadas. Elas geralmente vão de Célula em Célula, de igreja em igreja. Contam suas histórias, recebem ajuda, mas não se dispõem a servir e ajudar a outros que têm necessidades. Os eternos necessitados são os eternos decepcionados. Assim que tiver sua necessidade suprida, supra a de outra pessoa. Assim as bênçãos de Deus se multiplicarão sobre sua vida.

3) Alegria baseada nas circunstâncias e não no Espírito Santo
A decepção está diretamente conectada à falta de alegria. Uma das diversões do inimigo é tentar tornar nossa vida cristã um amontoado de rotinas legalistas, permeada de culpas e condenação: “Você não merece, não é bom o bastante, você não serve para isso”. Nossa mente se fixa no que não sabemos, não temos e não conseguimos. Na tentativa de realizar algo para Deus, colocamos nossa alegria em atividades e projetos, e não no relacionamento com o Senhor através do Espírito Santo. Por isso, os cristãos focam mais em atividades e ministérios (coisas que aparecem) do que em discipulado. Ao fazer isso, entramos na correria do dia a dia, ficamos tensos e nervosos. E como os resultados não saem como gostaríamos, vamos desanimando e, por fim, nos decepcionamos com as pessoas que achamos que deveriam nos ajudar e “não fazem nada”.

Alegria do Senhor – antídoto contra a decepção
Davi clama ao Senhor dizendo: “Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer.” Salmo 51.12

A obediência e a alegria estão totalmente conectadas. Elas são uma combinação incrível para não vivermos desapontados com a igreja e com as pessoas. Pois quando sabemos a vontade de Deus para nós, e a obedecemos, o resultado sempre será uma vida mais alegre e leve. Seu jugo é suave, seu fardo é leve. Tem muita coisa que fazemos que Deus não pediu, e o que Ele realmente deseja deixamos para depois, porque estamos muito ocupados.

Quando nossa intimidade com Deus está em ordem, paramos de focalizar em nós mesmos, nos outros e nas circunstâncias. Ficamos maravilhados com o que Ele fez, tem feito e vai fazer, primeiro em nós, e depois através de nós em favor de outros. A alegria do Senhor é a nossa força (Neemias 8.10). Confiar sempre no Senhor, e ousar viver em obediência à sua vontade, nos livra de ficarmos decepcionados.

“Os que olham para ele estão radiantes de alegria; seus rostos jamais mostrarão decepção.” Salmo 34.5 (NVI)

Pr .Cezar Rosaneli

Cezar Rosaneli, pr.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s